Comissão Própria de Avaliação

APRESENTAÇÃO

Estamos iniciando um novo ciclo de Autoavaliação da FMB com novos desafios a serem enfrentados pelas diretorias, departamentos e secretarias responsáveis pelas informações que devem constar no Relatório de Autoavaliação Institucional de 2016. Esses desafios se relacionam ao atendimento das exigências da nota técnica INEP/DAES/CONAES Nº 065, vigente desde outubro de 2014, que apresenta, dentre outros objetivos, um roteiro para elaboração do Relatório de Autoavaliação Institucional.

A autoavaliação compreende uma análise institucional global, tendo como referência as diretrizes de avaliação propostas pela Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior – CONAES/ MEC, acrescido de indicadores específicos (conceito dos cursos, índice geral de cursos, avaliação da CAPES), análise do projeto pedagógico e do projeto de desenvolvimento institucional (PDI), informações do cadastro e do censo da IES, estudos próprios, entre outras fontes.

Dessa forma, a autoavaliação é um processo dinâmico por meio do qual a instituição busca e constrói conhecimento sobre sua própria realidade, ao sistematizar informações, analisar coletivamente os significados e identificar pontos fracos e pontos fortes e propor estratégias de superação de problemas.

O processo de avaliação é constituído pela Avaliação Institucional, Avaliação de Cursos e Avaliação de Alunos (ENADE). Essas avaliações são utilizadas pelo MEC nos atos autorizativos de credenciamento e recredenciamento de instituições de educação superior, de reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos e de autorização de cursos, periodicamente. (artigo 46 da Lei de Diretrizes e Bases Nº. 9.394 de 1996).

A Faculdade Montes Belos, em cumprimento à Lei Nº 10.861, de 14 de abril de 2004, tem promovido a Autoavaliação Institucional, sob a Coordenação da Comissão Própria de Avaliação. O resultado desse processo é encaminhado ao Ministério da Educação – MEC – por meio do Relatório de Autoavaliação. O Relatório de Autoavaliação é um importante instrumento nesses processos, pois além de trazer indicadores para reflexão, constitui base de análise para os avaliadores externos.

O primeiro Relatório de Autoavaliação da FMB foi elaborado no ano de 2006. Na ocasião, os relatórios eram enviados a cada três anos para o MEC. A partir de 2007, a Portaria Normativa Nº 40 estabeleceu que os relatórios devem ser anuais. Acesse os Relatórios disponível na Aba Arquivos.

OBJETIVOS

Avaliar a Faculdade como uma totalidade integrada de modo a possibilitar a autoanálise valorativa da coerência entre a missão e as políticas institucionais realizadas, visando à melhoria da qualidade acadêmica e ao desenvolvimento institucional.

Privilegiar e desenvolver a cultura de autoavaliação e sua pratica educativa para gerar, nos membros da comunidade acadêmica, autoconsciência de suas qualidades, problemas e desafios para o presente e o futuro, estabelecendo mecanismos institucionalizados e participativos para a sua realização.

 

O QUE É A CPA?

A Comissão Própria de Avaliação – CPA – é um órgão que foi instituído por força de lei federal, em 2005, através da Portaria nº. 027/2005, mais conhecida como Lei do SINAES. Trata-se da Lei n. 10861, de 14 de abril de 2004, do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES). A partir da publicação dessa lei, todas as instituições de ensino superior foram obrigadas a compor as suas CPA’s. Compõem ainda a Lei do SINAES, os seguintes processos:

A CPA é um órgão institucional da FMB e foi constituída por meio de eleição e tem 4 representantes titulares e 4 representantes suplentes, de todos os seguimentos acadêmicos e tem como objetivo  conduzir o processo de avaliação da Faculdade em caráter institucional, de maneira continua e autônoma.

O QUE FAZ A CPA?

A CPA é responsável pela condução dos processos de avaliação internos da instituição, de sistematização e de prestação das informações solicitadas pelo INEP, obedecendo às diretrizes mencionadas na Lei n. 10861. Os processos de avaliação conduzidos pela CPA subsidiam o credenciamento e recredenciamento de Instituições de Ensino Superior – IES, bem como o reconhecimento e renovação de reconhecimento de cursos de graduação oferecidos.

Em resumo a CPA:

  1. Elabora o planejamento estratégico da autoavaliação;
  2. Elabora os questionários de autoavaliação;
  3. Aplica estes questionários de autoavaliação para docentes, técnicos administrativos (sempre no 1º semestre letivo) e alunos (sempre no 2º semestre letivo);
  4. Contabiliza e analisa (quantitativo, qualitativo e comparativo) os resultados obtidos;
  5. Elabora e divulga o Relatório Final de Autoavaliação;
  6. Propõem Planos de Melhorias, para fragilidades detectadas, juntamente com os departamentos mal avaliados:
    • Estabelece estratégias de superação dos problemas com vistas à qualidade da educação;
    • Aperfeiçoa a prática educativa;
    • Introduzi melhorias na Instituição, a partir da análise dos dados coletados;
    • Aperfeiçoa a gestão;
    • Reforça a relação instituição x sociedade;
  7. Acompanha e divulga as melhorias alcançadas.
  8. Recebe demandas por meio da ouvidoria, encaminha para os departamentos, solicita melhoria, acompanha e divulga o que foi solucionado.
  9. Avalia os eventos da FMB e a participação da comunidade externa.

Uma das competências da CPA é elaborar o relatório de autoavaliação institucional com base nas 10 dimensões que constam no SINAES, que são:

  1. Missão e Plano de Desenvolvimento Institucional;
  2. Política para o ensino, pesquisa, pós-graduação e extensão;
  3. Responsabilidade social da instituição;
  4. Comunicação com a sociedade;
  5. Políticas de pessoal, carreiras do corpo docente e do corpo técnico-administrativo;
  6. Organização e gestão da instituição;
  7. Infraestrutura física;
  8. Planejamento e avaliação;
  9. Políticas de atendimento aos estudantes e egressos;
  10. Sustentabilidade financeira.

 

QUAIS SÃO AS ATRIBUIÇÕES DA CPA?

  1. a) Implementar os processos e procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), no âmbito da instituição;
  2. b) Conduzir os processos de autoavaliação da FMB;
  3. c) Constituir núcleos temáticos e núcleos de trabalho que se façam necessários ao cumprimento de suas funções;
  4. d) Sistematizar e prestar as informações solicitadas pelo INEP;
  5. e) Preparar relatórios anuais, pareceres e, quando for necessário, recomendações a serem encaminhadas aos órgãos competentes da faculdade;
  6. f) Encaminhar propostas relativas ao desenvolvimento da FMB, com base nas análises produzidas no processo de avaliação;
  7. g) Divulgar na comunidade acadêmica a sua composição, suas propostas e agenda de atividades;
  8. h) Coordenar o processo para composição dos novos membros da CPA.
  9. I) Propor e acompanhar os processos de melhoria.

QUEM COMPÕE A CPA?

Membros CPA 2017/1 a 2020/1

Presidente: Daniel Moreira Tavares
Representante – Docentes
   
Daniel Moreira Tavares  
Representante – Discentes
   
Ana Maria Borba M. Cardoso  
Representante – Técnico – Administrativos
   
Dariane Bianca Silva  

Representante da Comunidade Externa

Claúdio Moreira Neves

Nesta composição cada titular tem direito a um suplente. O mandato dos membros da CPA é de  (3) anos.

Os representantes são eleitos para um mandato de três anos a partir de edital próprio, sem privilégio para a maioria absoluta de um dos segmentos.

Os representantes da sociedade civil organizada serão indicados pela direção geral da IES.

E-mail:cpa@fmb.edu.br
Telefone: (64) 367-2814

O QUE É A OUVIDORIA?

A OUVIDORIA é um instrumento de comunicação direta entre os usuários da instituição (alunos, professores, funcionários técnico-administrativos e prestadores de serviços terceirizados) e a instituição. Deve considerar, especialmente, os princípios de liberdade de expressão e da imparcialidadena condução do processo de análise e atendimento às reclamações/sugestões/elogios feitos pelos usuários da FMB.

QUAL É O OBJETIVO DA OUVIDORIA?

A OUVIDORIA tem como principais objetivos:

  • Estabelecer um canal de comunicação entre a instituição e seus usuários;
  • Buscar a satisfação dos usuários e prestadores de serviço da instituição;
  • Colher informações que expressem o grau de satisfação/insatisfação dos usuários;
  • Melhorar a qualidade dos serviços prestados pela instituição;
  • Estreitar relacionamentos e ser instrumento de comunicação permanente entre as comunidades e a Instituição, com o objetivo de aumentar a satisfação de todos que a procuram.

COMO A OUVIDORIA FUNCIONA?

 A OUVIDORIA funciona por meio de quatro instrumentos básicos:

1 – URNAS distribuídas em diversos locais da FMB, onde os alunos, os professores, os funcionários técnico-administrativos ou qualquer membro da comunidade acadêmica poderão depositar suas reclamações/sugestões/elogios relativos às condições físicas, aos processos ou às atividades acadêmicas de forma geral;

2 – OUVIDORIA ELETRÔNICA (disponível no endereço http://www.fmb.edu.br) – Na ouvidoria eletrônica qualquer pessoa que acessar esse endereço poderá postar reclamações/sugestões/elogios relativos às condições físicas, aos processos ou às atividades acadêmicas de forma geral;

3 – Sala da OUVIDORIA – é uma sala própria destinada ao atendimento de alunos, professores, funcionários técnico-administrativo. Cada um que queira fazer reclamações/sugestões/elogios poderá fazê-las pessoalmente aos membros do NAI que estarão atendendo em dia e horário específico.

4 – OUVIDORIA ONLINE  (disponível no fone: (64) 993185033) Na ouvidoria online qualquer pessoa poderá ligar ou enviar mensagens te texto e de voz, fazendo reclamações/sugestões/elogios/denúncias relativos às condições físicas, aos processos ou às atividades acadêmicas de forma geral;

Em qualquer um dos instrumentos mencionados acima as informações são registradas e consideradas no processo de avaliação/planejamento da instituição. Atualmente a Ouvidoria disponibiliza 10 horas para atendimento em horários de aula. Esse atendimento é feito pela presidente da CPA, que registra as reclamações/sugestões em formulários padronizados e encaminham à Diretoria Acadêmica para tomar as providências necessárias. Posteriormente, a Diretoria Geral retorna o resultado das providências tomadas sobre as reclamações.

CONCLUSÃO

Enfim, A CPA é um apoio institucional para conduzir um processo de melhoria continua e geral da Faculdade Montes Belos, e toda comunidade acadêmica é peça fundamental nesse processo de melhorias nas áreas acadêmica, administrativa e no relacionamento com a sociedade, quando respondem os questionários de autoavaliação e utilizam o canal da ouvidoria