Farmácia

Introdução

O Curso de Bacharelado em Farmácia da Faculdade Montes Belos iniciou suas atividades em agosto de 2006. Desde então confirmou seu compromisso satisfatório com a qualidade do ensino. Todas as exigências e padrões de qualidades estabelecidos pelo MEC são atendidos como estrutura, qualidade de ensino, corpo docente qualificado e alunos bem preparados para o mercado de trabalho.

Sobre o curso

 Objetivo Geral

O Curso de Graduação em Farmácia tem como objetivo geral formar farmacêuticos generalistas, com visão crítica e humanista, competentes para o desenvolvimento de ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde, sendo capazes de tomar decisões e relacionar-se de forma proativa em equipes multiprofissionais, liderando e gerenciando com eficiência pessoas, processos e recursos, buscando continuamente o conhecimento e o aprendizado.

Objetivos Específicos

Para que o objetivo geral seja atingido, foram delineados os seguintes objetivos específicos para o curso:

  • Promover ações de prevenção, capacitando os egressos para realizarem, interpretarem e emitirem laudos e pareceres, sendo responsáveis tecnicamente por análises clínico-laboratoriais;
  • Desenvolver a capacitação técnica por meio de métodos e técnicas de investigação, pesquisa, seleção, manipulação, produção, armazenamento e controle da qualidade dos insumos, fármacos sintéticos, recombinantes e naturais, bem como dos medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos viabilizando aos egressos o domínio de mecanismos para realizarem avaliações e atividades que garantam a qualidade dos produtos e matérias primas utilizadas nos processos farmacológicos, ou seja, na produção e manipulação de medicamentos e correlatos;
  • Promover a reabilitação da saúde e proteção das pessoas de forma a ampliar e democratizar as políticas de inclusão social constituindo a assistência farmacêutica em uma ferramenta construtivista nas ações da iniciativa pública ou privada;
  • Possibilitar o uso correto e racional de medicamentos e a atuação eficiente em todos os níveis de atenção à saúde, integrando os estudantes/egressos em programas de promoção, manutenção, prevenção, proteção e recuperação da saúde, reconhecendo a saúde como direito e garantindo a integralidade da assistência;
  • Desenvolver a capacidade para a tomada de decisão baseada na informação e percepção de indicadores relacionados aos pacientes, equipes de saúde, instituições e comunidades, bem como decidir de maneira eficiente nos processos de interpretação, avaliação, prescrições e atuação que envolvem medicamentos e correlatos;
  • Contribuir para que o egresso seja proativo na realização de pesquisas que promovam o desenvolvimento, seleção, produção e controle de qualidade de produtos obtidos por biotecnologia, análises físicas e químicas e microbiológicas de interesse para o saneamento do meio ambiente, incluindo análises de água, ar, esgoto e similares;
  • Contribuir para a inserção dos egressos em equipes multidisciplinares, especificamente na Estratégia Saúde da Família, em órgãos de apoio e fomento a pesquisa, de regulamentação, aprovação, registro e controle de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos, bem como organismos de fiscalização do exercício profissional;
  • Contribuir para que o exercício da liderança e do poder seja pautado nos princípios éticos profissionais, tendo por base a convicção científica, a cidadania e a responsabilidade social, ou seja, exercendo suas funções de forma articulada com o contexto social;
  • Gerenciar processos e recursos relacionados à farmacoepidemiologia, a dispensação e administração de nutracêuticos e de alimentos de uso integral e parenteral, atuando no planejamento, administração e gestão de serviços farmacêuticos, incluindo registro, autorização, distribuição e comercialização de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos de forma a contribuir para realização de procedimentos e interações;
  • Desenvolver a aprendizagem contínua, promovendo tanto na formação, quanto na prática o princípio de aprender a apreender e ter responsabilidade e compromisso com a formação das futuras gerações de profissionais, estimulando e desenvolvendo a mobilidade acadêmico-profissional, a formação e a cooperação por meio de redes nacionais e internacionais.

Perfil Profissional do Egresso

O curso de graduação em Farmácia da Faculdade Montes Belos definiu como perfil do egresso o Farmacêutico com formação generalista, humanista, crítica e reflexiva, em condições de atuar em todos os níveis de atenção à saúde, com base no rigor científico e intelectual, capacitado ao exercício profissional do farmacêutico em toda a sua amplitude, desenvolvendo ações e atitudes pautadas em princípios éticos e na compreensão da realidade social, cultural e econômica do seu meio, dirigindo sua atuação para a transformação da realidade e em benefício da sociedade.

Para delinear o perfil desejado do egresso levou-se em consideração o contexto em que esta atividade se situa, ou seja, os antecedentes históricos, os movimentos norteadores, as tendências da área e o comportamento do mercado de trabalho.

I – Atenção à saúde: os profissionais de saúde, dentro de seu âmbito profissional, devem estar aptos a desenvolver ações de prevenção, promoção, proteção e reabilitação da saúde tanto em nível individual quanto coletivo. Cada profissional deve assegurar que sua prática seja realizada de forma integrada e contínua com as demais instâncias do sistema de saúde, sendo capaz de pensar criticamente, de analisar os problemas da sociedade e de procurar soluções para os mesmos. Os profissionais devem realizar seus serviços dentro dos mais altos padrões de qualidade e dos princípios da ética/bioética, tendo em conta que a responsabilidade da atenção à saúde não se encerra com o ato técnico, mas sim, com a resolução do problema de saúde, tanto em nível individual como coletivo;

II – Tomada de decisões: o trabalho dos profissionais de saúde deve estar fundamentado na capacidade de tomar decisões visando o uso apropriado, eficácia e custo-efetividade, da força de trabalho, de medicamentos, de equipamentos, de procedimentos e de práticas. Para este fim, os mesmos devem possuir competências e habilidades para avaliar, sistematizar e decidir as condutas mais adequadas, baseadas em evidências científicas;

III – Comunicação: os profissionais de saúde devem ser acessíveis e devem manter a confidencialidade das informações a eles confiadas, na interação com outros profissionais de saúde e o público em geral. A comunicação envolve comunicação verbal, não-verbal habilidades de escrita e leitura; o domínio de, pelo menos, uma língua estrangeira e de tecnologias de comunicação e informação;

IV – Liderança: no trabalho em equipe multiprofissional, os profissionais de saúde deverão estar aptos a assumirem posições de liderança, sempre tendo em vista o bem estar da comunidade. A liderança envolve compromisso, responsabilidade, empatia, habilidade para tomada de decisões, comunicação e gerenciamento de forma efetiva e eficaz;

V – Administração e gerenciamento: os profissionais devem estar aptos a tomar iniciativas, fazer o gerenciamento e administração tanto da força de trabalho, dos recursos físicos e materiais e de informação, da mesma forma que devem estar aptos a serem empreendedores, gestores, empregadores ou lideranças na equipe de saúde;

VI – Educação permanente: os profissionais devem ser capazes de aprender continuamente, tanto na sua formação, quanto na sua prática. Desta forma, os profissionais de saúde devem aprender a aprender e ter responsabilidade e compromisso com a sua educação e o treinamento/estágios das futuras gerações de profissionais, mas proporcionando condições para que haja benefício mútuo entre os futuros profissionais e os profissionais dos serviços, inclusive, estimulando e desenvolvendo a mobilidade acadêmico-profissional, a formação e a cooperação através de redes nacionais e internacionais.

No contexto da política nacional de saúde identificada pelo conjunto de ações prioritárias de promoção do medicamento à população, observa-se que cerca de 52% dos brasileiros não têm acesso ao medicamento, dado ao alto custo dos mesmos, à falta de recursos e também ao seu uso irracional que provoca sérios danos à realização das metas governamentais preconizadas pela Organização Mundial de Saúde.

O egresso do curso ao praticar a assistência farmacêutica deve ter claro o conjunto de ações executadas no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), sobretudo, na Estratégia Saúde da Família, com vistas a garantir a assistência terapêutica universalizada na promoção, proteção e recuperação da saúde da população.

Este profissional deverá compreender os aspectos individuais e coletivos, desenvolver atividades de planejamento, pesquisa, manipulação, produção, controle de qualidade, vigilância epidemiológica, farmacológica e sanitária dos medicamentos e correlatos.

Neste sentido, o profissional a ser formado terá no medicamento o eixo central de sua atuação e o papel de elaborador e gerenciador do planejamento das ações nesta área, tendo dever ético e compromisso com as políticas de saúde de forma a contribuir para o desenvolvimento e implantação de ações que atendam as reais necessidades nacionais e regionais, promovendo assim a assistência farmacêutica crítica e efetiva em todos os níveis das diversas ações de saúde individuais e coletivas.

Em síntese, o egresso do curso terá formação ampla e holística, desenvolvimento da percepção, do senso crítico e reflexivo e estará habilitado para atuar em todos os níveis de atenção à saúde, embasado pelo conhecimento científico e intelectual. Este egresso terá condições de promover a assistência farmacêutica nas mais diferentes possibilidades dirigindo sua atuação para a transformação da realidade em benefício da sociedade.

Habilidade e Competências

O Farmacêutico academicamente formado deve atuar e coordenar sua equipe de trabalho, numa perspectiva que transcenda o fazer técnico e o cuidado com o corpo biológico. É mister resgatar o cuidado autêntico, solicitude que reconhece o homem como ser social, histórico e existencial. Que integre e interaja criticamente como sujeito ativo, co-responsável e co-participante nas decisões de qualquer natureza.

No Curso de Graduação em Farmácia da FMB desde o ingresso do acadêmico, existe planejamento interdisciplinar, para que o mesmo assuma atividades e trabalhos intracursos e intercursos, apreendendo e exercitando o respeito, o limite, o comum e o diferente na equipe; esse compartilhar extrapola, inclusive, o espaço interno da instituição, entendida como salas de aula, biblioteca, laboratórios e espaços de convivência estudantil. Ele avança além muros, integrando os alunos em instituições prestadoras de serviços à comunidade, ecada um, de acordo com sua formação, realizará uma faceta do trabalho proposto e planejado por todos.

O desenvolvimento das competências necessárias à prática profissional é de tal forma importante que recebe um tratamento diferenciado no currículo do curso garantindo que todos os estudantes tenham a oportunidade de vivenciar as práticas consideradas fundamentais, antes de se formarem. Para essa instrumentalização o curso conta com aulas teóricas, práticas laboratoriais, estágios básicos e supervisionados e atividades complementares.

Neste sentido o Projeto Pedagógico do Curso, ora solicitado, definiu como base para o desenvolvimento das competências esperadas para o egresso os seguintes aspectos:

  • Conteúdos que possibilitem aos estudantes o aprendizado via construção de significados;
  • Habilidades que conduzam o processo de ensino e aprendizagem e promovam o saber fazer;
  • Comportamentos que relacionem a atitudes físicas ou mentais;
  • Contextualização e linguagem visando à compreensão de que nenhuma palavra tem sentido em si mesma, ou seja, o que lhe dá o sentido é o contexto na qual é utilizada;
  • Valores culturais que estabeleçam âncoras para a linguagem e para a construção de representações;
  • Gestão do emocional a fim de promover a solução de situações complexas na perspectiva construtivista e holística.

A formação do Farmacêutico tem por objetivo dotar o profissional dos conhecimentos requeridos para o exercício das seguintes competências e habilidades específicas:

I – respeitar os princípios éticos inerentes ao exercício profissional;

II – atuar em todos os níveis de atenção à saúde, integrando-se em programas de promoção, manutenção, prevenção, proteção e recuperação da saúde, sensibilizados e comprometidos com o ser humano, respeitando-o e valorizando-o;

III – atuar multiprofissionalmente, interdisciplinarmente e transdisciplinarmente com extrema produtividade na promoção da saúde baseado na convicção científica, de cidadania e de ética;

IV – reconhecer a saúde como direito e condições dignas de vida e atuar de forma a garantir a integralidade da assistência, entendida como conjunto articulado e contínuo das ações e serviços preventivos e curativos, individuais e coletivos, exigidos para cada caso em todos os níveis de complexidade do sistema;

V – exercer sua profissão de forma articulada ao contexto social, entendendo-a como uma forma de participação e contribuição social;

VI – conhecer métodos e técnicas de investigação e elaboração de trabalhos acadêmicos e científicos;

VII – desenvolver assistência farmacêutica individual e coletiva;

VIII – atuar na pesquisa, desenvolvimento, seleção, manipulação, produção, armazenamento e controle de qualidade de insumos, fármacos, sintéticos, recombinantes e naturais, medicamentos, cosméticos, saneantes e domissaneantes e correlatos;

IX – atuar em órgãos de regulamentação e fiscalização do exercício profissional e de aprovação, registro e controle de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos;

X – atuar na avaliação toxicológica de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes, correlatos e alimentos;

XI – realizar, interpretar, emitir laudos e pareceres e responsabilizar-se tecnicamente por análises clínico-laboratoriais, incluindo os exames hematológicos, citológicos, citopatológicos e histoquímicos, biologia molecular, bem como análises toxicológicas, dentro dos padrões de qualidade e normas de segurança;

XII – realizar procedimentos relacionados à coleta de material para fins de análises laboratoriais e toxicológicas;

XIII – avaliar a interferência de medicamentos, alimentos e outros interferentes em exames laboratoriais;

XIV – avaliar as interações medicamento/medicamento e alimento/medicamento; XV – exercer a farmacoepidemiologia;

XVI – exercer a dispensarão e administração de nutracêuticos e de alimentos de uso integral e parenteral;

XVII – atuar no planejamento, administração e gestão de serviços farmacêuticos, incluindo registro, autorização de produção, distribuição e comercialização de medicamentos, cosméticos, saneantes, domissaneantes e correlatos;

XVIII – atuar no desenvolvimento e operação de sistemas de informação farmacológica e toxicológica para pacientes, equipes de saúde, instituições e comunidades; XIX – interpretar e avaliar prescrições;

XX – atuar na dispensarão de medicamentos e correlatos;

XXI – participar na formulação das políticas de medicamentos e de assistência farmacêutica;

XXII – formular e produzir medicamentos e cosméticos em qualquer escala;

XXIII – atuar na promoção e gerenciamento do uso correto e racional de medicamentos, em todos os níveis do sistema de saúde, tanto no âmbito do setor público como do privado;

XXIV – desenvolver atividades de garantia da qualidade de medicamentos, cosméticos, processos e serviços onde atue o farmacêutico;

XXV – realizar, interpretar, avaliar, emitir laudos e pareceres e responsabilizar-se tecnicamente por análises de alimentos, de nutracêuticos, de alimentos de uso enteral e parenteral, suplementos alimentares, desde a obtenção das matérias primas até o consumo;

XXVI – atuar na pesquisa e desenvolvimento, seleção, produção e controle de qualidade de produtos obtidos por biotecnologia;

XXVII – realizar análises fisico-químicas e microbiológicas de interesse para o saneamento do meio ambiente, incluídas as análises de água, ar e esgoto;

XXVIII – atuar na pesquisa e desenvolvimento, seleção, produção e controle de qualidade de hemocomponentes e hemoderivados, incluindo realização, interpretação de exames e responsabilidade técnica de serviços de hemoterapia;

XXIX – exercer atenção farmacêutica individual e coletiva na área das análises clínicas e toxicológicas;

XXX – gerenciar laboratórios de análises clínicas e toxicológicas; XXXI – atuar na seleção, desenvolvimento e controle de qualidade de metodologias, de reativos, reagentes e equipamentos. Parágrafo único. A formação do Farmacêutico deverá contemplar as necessidades sociais da saúde, a atenção integral da saúde no sistema regionalizado e hierarquizado de referência e contra-referência e o trabalho em equipe, com ênfase no Sistema Único de Saúde (SUS).

Com o atual ritmo de avanço da ciência, para exercer corretamente as atividades farmacêuticas serão trabalhadas ao longo do curso também as seguintes habilidades:

  • Compreender o funcionamento dos processos e técnicas, bem como a composição dos materiais envolvidos e a atuação dos órgãos reguladores na produção e manipulação dos medicamentos e correlatos;
  • Dominar as funções de dispensação e manipulação de fórmulas magistrais e farmacopéicas;
  • Operacionalizar mecanismos de assessoria em relação a responsabilidade técnica dos estabelecimentos industriais farmacêuticos;
  • Entender o funcionamento dos órgãos públicos e privados, laboratórios, setores e estabelecimentos farmacêuticos, bem como a execução do controle e/ou inspeção de qualidade, análise prévia e fiscalização de produtos destinados à função terapêutica, anestésica ou auxiliar de diagnósticos, sendo ainda capaz de determinar dependência física ou psíquica;
  • Identificar a abrangência e atuação dos órgãos, laboratórios, setores ou estabelecimentos farmacêuticos que praticam extração, purificação, controle de qualidade, inspeção de qualidade, análises de insumos farmacêuticos de origem vegetal, animal e mineral;
  • Gerenciar depósitos de produtos farmacêuticos de qualquer natureza;
  • Capacitar-se para a fiscalização profissional sanitária e técnica de empresas, estabelecimentos, setores, fórmulas, produtos, processos e métodos farmacêuticos ou dessa natureza;
  • Desenvolver capacitação técnica para emitir laudos e perícias técnico-legais relacionados com atividades, produtos, fórmulas, processos e métodos farmacêuticos;
  • Atuar no magistério superior, desenvolvendo conteúdos relacionados às matérias específicas, relacionadas à farmácia, obedecida a legislação educacional;
  • Prestar serviços e desempenhar funções que necessitem de formação técnico-científica profissional, bem como exercer a direção, assessoramento, responsabilidade técnica em órgãos, empresas, estabelecimentos, laboratórios ou setores que preparam ou fabricam produtos biológicos, imunoterápicos, soros, vacinas, alérgenos, opoterápicos para uso humano e veterinário, bem como de derivados do sangue;
  • Trabalhar em órgãos ou laboratórios de análises clínicas, saúde pública ou departamentos especializados.

Atribuições no Mercado de Trabalho

Farmacêuticos são profissionais que identificam e manipulam substâncias químicas para a produção de medicamentos e cosméticos.  Em linhas gerais, o farmacêutico atua em três modalidades básicas: Fármacos e Medicamentos, Análises Clínicas e Toxicológicas e Alimentos.

Na primeira, pode trabalhar na indústria farmacêutica, dedicando-se à pesquisa de novas drogas e cosméticos ou atuando na produção e no controle de qualidade de medicamentos. As farmácias de manipulação, fitoterápicas ou homeopáticas, além daquelas instaladas em hospitais e unidades de saúde, formam também um mercado de trabalho em expansão.

A área de Análises Clínicas e Toxicológicas, o farmacêutico, absorvido por laboratórios de análise, públicos e particulares, será responsável pela execução de exames clínico-laboratoriais, que auxiliam no diagnóstico das doenças. Pode também controlar e identificar a presença de produtos que, atuando como tóxicos, afetam as pessoas, o ambiente, os alimentos e os próprios medicamentos. Outra possibilidade é a toxicologia ocupacional, que trata da adequação dos ambientes de trabalho às funções do trabalhador.

Já na área de Alimentos, o profissional pode atuar na indústria de produtos alimentícios e de bebidas, principalmente no controle da qualidade microbiológica, físico-química e sensorial. Merecem destaque as indústrias de água mineral, de óleos vegetais comestíveis, de leite e derivados e de produtos que podem promover a saúde, todas em franca expansão. O farmacêutico trabalha também no desenvolvimento de novos produtos e ingredientes alimentícios. Nas instituições públicas ou privadas de pesquisa, suas atividades estarão voltadas para a pesquisa básica e aplicada.

São 44 municípios atendidos pela Faculdade Montes Belos, onde há um total aproximado de 340.000 habitantes.